terça-feira, 21 de abril de 2009

Família

O que é que se pode escrever ou dizer quando acabam de «cortar» uma parte de nós ?
Daquele núcleo que era até aqui a Família ?
A família éramos nós todos, também com aquele que acaba de nos deixar, com as suas características, fina ironia, e com aquela sensação que por vezes nos deixava, de que não nos amava e que não gostava de ser amado .
Cada pessoa é como é , mas é a nossa família . E nos momentos difíceis que acabámos de atravessar , como se faz ?
Perante a fragilidade humana ali posta à nossa frente, só nos resta abraçar-mo-nos, e ter a consciência que com o tempo a família volta a compor-se . Temos o mais novo elemento que nos dá alegria e força e também a certeza que por ele vale a pena voltar a sorrir.
Agora, que tudo terminou e só falta o último passo: lançar as suas cinzas no mar, que ele tanto amou, faltam-me as palavras, fica uma pequena homenagem pela voz da nossa poeta maior: Sophia de Mello Breyner Andreson:

Agora morto oscilas
Ao sabor das correntes
Com medusas em vez de pupilas

Agora reinas entre imagens puras
Em países transparentes e de vidro,
Sem coração e sem memória
Em todas as presenças diluído.

Agora liberto moras
Na pausa branca dos poemas.
Teu corpo sobe e cai em cada vaga,
Sem nome e sem destino
Na limpidez da alma


P.S. A todos os amigos, que me enviaram apoio através de telefone mail ou da blogosfera o meu muito obrigado. Nestas horas todos os amigos nos fazem falta.
Um abraço
Nocturna

8 comentários:

pinguim disse...

Eu passei há pouco tempo por uma situação idêntica e devo dizer-te que FAMÍLIA tem realmente muita força; nunca a minha família esteve tão unida como agora e até um velho amuo entre dois irmãos terminou, o que considerávamos praticamente impossível...
E a vida continua...
Beijinho com muita amizade.

kameramaninblack disse...

a sensação de ausência, de perca, de desnorte é terrível
:(

Teresa Queiroz disse...

não consigo imaginar essa sensação.... mas suponho que será horrível ... e talvez nos faça ver a vida como vida ...
não sei


um abraço

poetaeusou . . . disse...

*
obrigado
pela Sophia,
,
Quem é um amigo? 'Um outro eu'
,
in-Zenão Eléia
,
conchinhas serenas,
,
*

Isamar disse...

A vida é assim, amiga. Tão efémera! E quando um parte vai com ele uma parte de nós.

Bem-hajas!

Um abraço solidário

Mar Arável disse...

Em silêncio

um beijo

de conforto

Dayane Alves' disse...

Olá , parabén pelo blog , amei as postagens :)
Acabei de fazer um blog e queriia conhecer novos amigos , se você estiver disposto a ser um deles ficarei grata.
Bjoos e fica com Deus :D

elvira carvalho disse...

Vinha agradecer a visita ao Sexta, e deparo com um post que muito me emocionou, pois há dias perdi meu pai.
Por isso não consigo escrever mais que um enorme obrigada.
Um abraço e Bom Domingo