quarta-feira, 13 de maio de 2009

Pergunta-me

Pergunta-me
se ainda és o meu fogo
se acendes ainda
o minuto de cinza
se despertas
a ave magoada
que se queda
na árvore do meu sangue

Pergunta-me
se o vento não traz nada
se o vento tudo arrasta
se na quietude do lago
repousaram a fúria
e o tropel de mil cavalos

Pergunta-me
se te voltei a encontrar
de todas as vezes que me detive
junto das pontes enevoadas
e se eras tu quem eu via
na infinita dispersão do meu ser
se eras tu
que reunias pedaços do meu poema
reconstruindo
a folha rasgada
na minha mão descrente

Qualquer coisa
pergunta-me qualquer coisa
uma tolice
um mistério indecifrável
simplesmente
para que eu saiba
que queres ainda saber
para que mesmo sem te responder
saibas o que te quero dizer


Preguiça ? Um certo desânimo ?
Muitas dúvidas por certo . Não sei muito bem o que se passa.
Encontrei na voz do poeta Mia Couto neste poema «Pergunta-me» quase tudo o que me apetecia dizer.
Talvez seja ,também para isso que existem os poetas.

21 comentários:

lampejo disse...

Um poema muito bonito, que diz muito.

Quem nunca sentiu esses sentimentos (preguiça ou desânimo), tão depressa vêm, como se vão.
Espero que sejam seja uma fase passageira.

as-nunes disse...

Belo poema.
Pena eu ter de trabalhar a fazer serão, que os prazos estão a chegar quase ao fim.
Bons sonhos, Nocturna
António

Teresa Queiroz disse...

lindo...


simplesmente pergunta-me... :)

gostei

Paulo disse...

Mia Couto é genial, não é? adoro-o e inspiro-me nele. e de facto, é incrível como o que sentimos pode ter sido dito de modo tão belo e trabalhado. é encontrarmo-nos nas palavras dos outros. e isso é tão mágico quanto deslumbrante.
se precisar de inspiração nocturna, é só apitar.
um grande abraço

pinguim disse...

Claro que é "também" para isso que servem os poetas, para descobrirem e debitarem em belas palavras, muitos dos nossos anseios, dúvidas e vivências, até...
Beijinho.

Maria disse...

É para isso que eles, os poetas, existem com certeza (entre outras coisas...).
O Mia Couto tem uma sensibilidade tão especial...

Abraço

jorge disse...

Sabes que o "Mia" adoptou esse pseudónimo porque gostava muito de gatos?
Foi apenas uma pergunta retórica para animar... Porque as perguntas que temos dentro de nós são afinal mais importantes do que as respostas que outros nos dão!

Nocturna disse...

Caro Jorge,
Sabia essa particularidade do nome do Mia Couto.
Conheço-o pessoalmente, somos amigos e sou igualmente amiga de toda a família.
Mas acima de tudo, sou uma «fanática» leitora de todos os livros dele.
Um abraço
Nocturna

Luís disse...

Conheci a obra de Mia Couto através de uma amiga que se licenciou em Estudos Africanos: apaixonei-me de imediato!

Mais tarde, pelas mãos da mesma amiga, viriam outros autores do mesmo continente que cativaram um espaço nas minhas preferências: Ondjaki, Paulina Chiziane, Germano Almeida, ...

Obrigado pela partilha :)

free_soul disse...

sim os poetas servem para várias coisas acho eu...até para nada! Mas também para isso que dizes...dizer algo por nós e Mia Couto faz isso muito bem...
Um Beijo

Celia disse...

Adorei sua visita. Volte sempre. Gostei daqui tb. Voltarei mais vezes. Bj

Mar Arável disse...

As "coisas" do amor não se pedem

nem perguntam

Afirmam-se

no chão das marés

Pata Negra disse...

Sim, os poetas existem para falar por nós, os cantores existem para cantar por nós, os políticos existem para decidirem por nós...
Mas ai de quem deixa de sentir, de cantar ou de votar!
Relendo bem, errei, o que estão aí os políticos a fazer na reflexão?! Sejamos poetas, cantores mas que nunca deixemos que os outros decidam por nós! Não deixemos! Deixamos!...
Um abraço com os versos possíveis

Nocturna disse...

Majestade !!
Que estão os políticos a fazer aqui ?.
Temos de facto que ser nós a decidir, a votar e a pedir contas àquilo que os políticos fazem.
A democracia não se esgota no voto.
Abraço, dos grandes
Nocturna

Carametade disse...

É sempre bonito ler um poema ,seja ele qual for.todos nós nos identificamos por eles,gostei e vou aparecer mais vezes ,continua.bjs

Justine disse...

Como Mia Couto sabe manipular bem as palavras comuns, como as transforma e lhes dá o sentido que nós queremos - como ele nos sabe perguntar!
(Obrigada por este poema, obrigada pela visita)

Milu - miluzinha.com disse...

Descobri-a através de uma referência no blog "Rei dos Leitões". Não posso, nem devo negar, que me sinto atraída, ou melhor, que a diferença e a originalidade atrai a minha atenção! Sobre si houve um pormenor que me fez sorrir! Quando acerca da sua ocupação disse: " O menos posível"! Gostei! Até eu penso assim! Luxo, luxo, é ter tempo para não fazer um corno! Palavra de honra! Que me esganem se isto não é a mais pura das verdades!

elvira carvalho disse...

Adoro Mia Couto. Acabei de ler Raiz de orvalho e outros poemas.
Um abraço e uma boa semana

amigona avó e a neta princesa disse...

E escolheste muito bem! Mia Couto é genial! Um abraço e boa semana...

Do You Believe in Angels ? disse...

Passo aqui e fico rendido.

Beijinho*

poetaeusou . . . disse...

*
não me perguntes,
lê Mia Couto !!! . . .
,
conchinhas,
,
*