sexta-feira, 1 de maio de 2009

Viva o 1ºde Maio , Dia dos Trabalhadores

No dia 1º de Maio de 1886, cerca de 500 mil trabalhadores saíram às ruas de Chicago, nos Estados Unidos, em manifestação ,para exigir a redução da jornada diária de trabalho para oito horas. A polícia reprimiu a manifestação, ferindo e matando dezenas de operários.

Mas os trabalhadores voltaram à rua no dia 5 de Maio do mesmo ano,apenas quatro dias depois da reivindicação de Chicago, os operários voltaram às ruas e foram novamente reprimidos: 8 líderes presos, 4 trabalhadores executados e 3 condenados a prisão perpétua.Mais uma vez parecia uma derrota dos trabalhadores na sua justa luta pelas oito horas de trabalho diário.

Mas luta continuou e alastrou a vários sectores de trabalho.
A solidariedade internacional pressionou o governo americano a anular o falso julgamento dos trabalhadores e a nomear um novo júri, em 1888. Os membros que constituíam o júri reconheceram a inocência dos trabalhadores, culparam o Estado americano e ordenaram que soltassem os 3 presos.

Em 1889 o Congresso Operário Internacional, reunido em Paris, decretou o 1º de Maio, como o Dia Internacional dos Trabalhadores, um dia de luto e de luta. E, em 1890, os trabalhadores americanos conquistaram a jornada de trabalho de oito horas.

Todos estes anos depois das grandiosas manifestações dos operários de Chicago pela luta das oito horas de trabalho e da brutal repressão patronal e policial que se abateu sobre os manifestantes; o 1º de Maio, enquanto jornada de festa e também de luta, mantém todo o seu significado e actualidade.

Nos Estados Unidos da América o Dia do Trabalhador celebra-se em Setembro e é conhecido por "Labor Day". É um feriado nacional que é sempre comemorado na primeira segunda-feira do mês de Setembro e está relacionado com o período das colheitas e com o fim do Verão.

No Canadá este feriado chama-se "Dia de Oito Horas". Tem este nome porque se comemora a vitória da redução do dia de trabalho para oito horas.

Na Europa o "Dia do Trabalhador" comemora-se sempre no dia 1 de Maio.

Em Portugal só depois do dia redentor de 25 de Abril de 1974, é possível festejar o 1º de Maio em liberdade. Mas, mesmo durante a ditadura houve muitas tentativas reprimidas e várias pessoas foram presas ,para que este dia fosse festejado como o dia dos trabalhadores. O Sindicato dos Tipógrafos conseguiu , transformar o 1º de Maio em Dia do Tipógrafo e assim os tipógrafos não trabalhavam neste dia. Sem carácter oficial esta ideia foi alastrando. Eu trabalhei numa editora que no primeiro de Maio fechava sempre, sem dar grandes explicações, quem entendia , entendia , quem não entendia aproveitava na mesma porque um feriado era sempre bom.
Tudo isto para dizer que, mesmo com todas as dificuldades que o nosso país está a atravessar (corrupções, desemprego, autoritarismos etc. ),e outras imperfeições da democracia,não devemos deixar cair os braços , até porque essas imperfeições, não são os militares ou estes governantes que as vão resolver,está nas nossas mãos lutar para que todos tenham direito a um trabalho digno.
No entanto devemos respeitar e festejar na medida das nossas possibilidades, o 1º de Maio, Dia dos Trabalhadores, até para homenagear todos os que tombaram para que tivéssemos esse direito.
Viva o 1º de Maio !

6 comentários:

pinguim disse...

É um dia muito especial para todos nós.
Tenho uma imensa pena de não ter assistido ao vivo ao de 1974, uma festa enorme, e recordo sem saudade os primeiros de Maio que não eram feriados, em que se trabalhava e em que o Rossio estava pejado de pides a observarem cada pequeno agrupamento de 3 ou mais pessoas (era logo suspeito...)
Beijinho.

amigona avó e a neta princesa disse...

Estou contigo e obrigada por nos recordares o que foi o 1º de Maio...é sempre importante não deixar que a História seja esquecida...beijos...

Teresa Queiroz disse...

viva o 1ª de Maio!!!

é incrível...como tantos patrões o deixaram de respeitar , obrigando os trabalhadores a não o poderem festejar...

Mar Arável disse...

Abril de novo

no Maio de sempre

Jorge P.G disse...

Pois é, o DIA "PROIBIDO" passou a ser festejado apartir de 1974, tendo eu tido a experiência única de viver amior emais espontânea e alegre festa que já houve no Portugal do meu tempo.
Que os direitos dos trabalhadores, o maior dos quais é o direito a ter trabalho, não se percam na voragem desta nova "ditadura legitimada pelo voto popular", que é o que acontece hoje em dia com este governo de "pançudos" pesporrentes, incompetentes, néscios, sevandijas, funâmbulos e corruptos, alguns, acolitado por uma cáfila de invertebrados pegajosos e bajuladores.

Um abraço e bom fim-de-semana.
Jorge P.G.

Menina do Rio disse...

1º de Maio, sempre!

Tenho uma filha que mora em Monte Estoril, acaso é o mesmo lugar teu?

Obrigada pela presença e palavras deixadas no meu blog. Seja sempre bem vinda!
Um beijo deste lado de cá do mar